13 PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO

 

Após mais de um mês de votação nas “13 PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO”, que representam as prioridades, indicadas pela militância do PT, do segundo mandato do nosso Governo, observa-se que as principais preocupações dos petistas são:

  1. Valorização do profissional da Educação, através de uma carreira que os estimule e que lhes garanta instrumentos para seu crescimento
  2.  Garantia de Educação Integral na Educação Básica, com a ampliação de espaços e tempos de aprendizagem, com inspiração no ideário do educador baiano Anísio Teixeira
  3. Consolidar a Universidade Aberta do Brasil – UAB na Bahia, como forma de expandir e interiorizar o acesso á educação superior e pública
  4. Ampla reforma administrativa e de gestão para viabilizar as leis, programas e projetos do governo federal e estadual
  5. Desenvolvimento de ações que possibilitem a inclusão digital dos alunos e professores, através do uso pedagógico das Tecnologias da Informação e da Comunicação – TIC

Siga-nos! http://twitter.com/educacaoptbahia

QuadroResultado das votações nas “13 PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO”
Proposta Votos relativos (%)
1. Valorização do profissional da Educação, através de uma carreira que os estimule e que lhes garanta instrumentos para seu crescimento 20,34
6. Garantia de Educação Integral na Educação Básica, com a ampliação de espaços e tempos de aprendizagem, com inspiração no ideário do educador baiano Anísio Teixeira 13,56
2. Consolidar a Universidade Aberta do Brasil – UAB na Bahia, como forma de expandir e interiorizar o acesso á educação superior e pública 10,17
4. Ampla reforma administrativa e de gestão para viabilizar as leis, programas e projetos do governo federal e estadual 10,17
9. Desenvolvimento de ações que possibilitem a inclusão digital dos alunos e professores, através do uso pedagógico das Tecnologias da Informação e da Comunicação – TIC 10,17
3.Dinamização e ampliação da formação de professores 8,47
13. Ampliação das ações de Educação no Campo, uma educação contextualizada à realidade dos Territórios de Identidade 6,78
5. Consolidação da Educação Profissional 5,08
7. Ampliar as ações para a Educação em Comunidades Tradicionais, Quilombolas, Educação Indígena 3,39
8. Ampliação dos estudos africanos e indígenas, através da aplicação da lei Nº 11.645, DE 10 MARÇO DE 2008 e de outras ações que discutam as mesmas temáticas 3,39
10. Fortalecimento das ações de formação para as pessoas com deficiência e sua posterior inserção no mundo do trabalho 3,39
11. Aproximação entre escola e comunidade, através de programas que permitam integrar as ações educativas e ampliar o atendimento a outros cidadãos não formalmente matriculados, aos pais e familiares dos alunos 1,69
12. Inserção, na escola, de instrumentos, ambientes e ações que favoreçam a construção de conhecimentos, como estímulo à criação de grupos e movimentos culturais pelos alunos, biblioteca em todas as escolas, acesso livre aos meios tecnológicos para os alunos, entre outros 1,69
14. Integração Escola/Comunidade com biblioteca aberta à comunidade. 1,69

 

7 Respostas to “13 PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO”

  1. João Rocha Sobrinho Says:

    Integração Escola/Comunidade com biblioteca aberta à comunidade

  2. Celso Says:

    A UAB é uma grande conquista da sociedade e forma de ampliar as oportunidades para os professores e sociedade como um todo.

  3. Ricardo Henrique Andrade Says:

    Um problema sério que precisa e pode ser evitado é contigenciamento da verba de custeio na educação, a lenta liberação dos QCM retarda a realização dos projetos e prejudica a implementação de qualquer política pública. Não há planejamento que resista a falta de recursos e não há execução financeira que suporte um prazo exíguo de 3 meses (quando enfim os recursos são liberados quase de uma só vez!). OS qcm devem ser liberados desde fevereiro em proporções ajustadas ao planejamento. EDUCAÇÃO SEM CONTIGENCIAMENTO!

    • Marcelo Rocha Says:

      Creio que além da questão da QCM trazida pelo colega Ricardo Henrique, devemos propor uma nova modelagem de transferência de recurso para as Unidades escolares, ou seja, além do modelo FAED, utilizado para custeios de reparos físicos, garantir transferências rápidas para viabilização de atividades e projetos pedagógicos e culturais.

      Sugiro que os programas todos que envolvem carga-horárias alternativas ao currículo básico, do MEc, da SEC, de outras Secretarias, sejam tomados como um programa pedagógivo úniuco, sob uma coordenação integrada, com uma metodologia aplicada, monitorada e avaliada. E que se invista com mais ousadia e vontade de apurar um caminho nestes projetos, com vontade de ver realmente seus resultados e aferir os ganhos, os acertos e desacertos e implementar mudanças, assim estaríamos elaborando, laboratoriando um método público de escola de tempo extendido e apontando alternativas para os problemas socias da juventude. É inacreditável a aus}ência de diálogo interno na SEC e no conjunto de suas ações. Por uma SEC dialógica e unida em torno de um projeto contra-hegemônico de Estado.

  4. Maria Auxiliadora Alvim Says:

    A questão pedgogica precisa ser considerada por este governo. Os coordenadores pedagogicos devem ser valorizados. A marca dos governos do PT deve ser a melhoria do processo pedagogico, incuindo a metodologia de ensino e as condições de trabalho com discussões entre os profissionais antes da implantação. Minha expectativa é que a proposta de educação seja debatida com representantes eleitos nas escolas para construção coletiva, comprometendo a todos com a execução.
    Que não chegue projetos prontos, como sempre criticamos.
    Auxiliadora

  5. Cleide Araujo de Almeida Says:

    Não vejo, propostas ou ações que implemente o fortalecimento da Educação Ambiental dentro da estrutura da própria Educação. Não devemos achar que Educação Ambiental é a mesma coisa de Meio Ambiente. A Educação Ambiental é um processo de transversalidade;com suas diretrizes, príncipios e eixos. A EA, atráves das suas práticas vamos sensibilizar e construir paramêtros diferenciados para diias melhores e qualidade de vida. A questão da Educação Ambiental precisa ser um dos carro chefe deste governo. Os Gestores Ambientais, todos os acadêmicos e outros dentro desta linha devem ser valorizados. Uma das marca deste governo do PT deve ser a melhoria do processo pedagógico da Educação Ambiental, através das suas Secretarias e Institutos. “Trabalhar afinado ” com os PROGRAMAS e Ações determinantes na LINHA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Pensar, na Educação Ambiental, hoje no Estado da Bahia é um desafio do Governo juntamente com toda sociedade. É movimentar o entendimento sobre essa nova POLÍTICA de Governo, chamada de TERRITÓRIO DE IDENTIDADE.

  6. Consuêlo barbosa Says:

    Percebo que é também necessário revigorar o entrosamento intersetorial, estratégia fundamental ao fortalecimento das políticas públicas. A marca do PT é de possibilitar o acesso aos direitos estabelecidos constitucionalmente, portanto precisamos discutir e encaminhar convergências de forças.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: