A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO DO PT

Enem bate recorde de inscrições

Mais de 9,5 milhões de pessoas inscreveram-se para o exame. Taxa de inscrição deve ser paga até 28 de maio para confirmar a participação

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) bateu novo recorde na edição 2014, com 9.519.827 inscrições. Os dados, divulgados pelo Ministério da Educação, mostram que o aumento de candidatos, se comparado a 2013, é de 21,8%. Segundo o ministro do órgão, Henrique Paim, a alta procura demonstra o interesse do brasileiro em qualificar-se para crescer por meio da educação.

“Todo ano acreditamos que alcançamos um determinado patamar com as inscrições, mas neste chegamos, mais uma vez, à conclusão que há uma grande expectativa em relação ao Enem”, declarou. A nota obtida no exame dá a oportunidade aos candidatos de garantirem vagas em universidades públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (SISU), e bolsas de estudo em instituições privadas, pelo o Programa Universidade Para Todos (Prouni)

Permite, também, que o estudante solicite Financiamento Estudantil (Fies), vagas em instituições de ensino técnico, pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) e bolsas para intercâmbio estudantil, no Ciência Sem Fronteiras.

Para confirmar a inscrição é necessário pagar taxa de R$ 35, até às 16h do dia 28 de maio. Estão isentos da cobrança alunos de escolas públicas ou aqueles cuja a renda familiar mensal seja inferior a 1.086 reais. Neste ano, as provas do Enem serão aplicadas nos dias 8 e 9 de novembro, em 1.699 municípios brasileiros.

Segurança – A entrada dos locais de provas do Enem contará com detector de metais. A medida visa aperfeiçoar os procedimentos de segurança contra fraudes na aplicação das provas. “A logística tem que ser cada vez mais reforçada para garantir segurança e mais isonomia nas provas”, explicou Paim.

Por Mariana Zoccoli, da Agência PT de Notícias

Fonte: http://www.pt.org.br/enem-bate-recorde-de-inscricoes-em-2014/

AF_Pt 34 anos_ok_2

Veja a produção dos Movimentos Sociais e Populares, Militantes, Filiados e Parlamentares que compareceram aos Encontros Territoriais do Setorial Estadual de Educação

1. Políticas para a Educação;

2. 13 Propostas;

3. Manifesto “Educadores com DILMA – 13“;

4. Assine o documento

escolasemhomofobia

DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO

NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”.

O Setorial Estadual de Educação protocolou nessa terça-feira (15/02) carta à Executiva Estadual do PT com o objetivo de apontar as correções necessárias que devem ser adotadas pela SEC na construção de uma Política Pública para a Educação no Estado.

O objetivo do documento, primeiro de uma série de análises, é o de oferecer ao PT e ao Governo alternativas, estas já muito bem apontadas pelo Setorial no documento“DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”, na busca de alinhar as políticaas públicas ao que sempre foi defendido pelo PT a aos programas do Governo Federal.

Reunião do Setorial de Educação, hoje (06/06), às 19:00 horas, na sede do Diretório Municipal do PT, para planejar e articular ações a partir da seguinte pauta:

 Plano Nacional de Educação (PNE): políticas de valorização para os Trabalhadores em Educação;
 Projeto Petista para as Universidades Estaduais da Bahia;
 Debate sobre o PNE promovido pela Comissão de Educação da Cultura da Câmara de Deputados;

 Programa Escola sem Homofobia;
 Eleições da APLB Sindicato.

Debate:

Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério (PSPN).

06 de junho:

Debate sobre o PNE com Trabalhadores em Educação, Movimentos Sociais e Populares: o PSPN e políticas de valorização dos Trabalhadores em Educação.

 Local: Sede do PT/Salvador

Horário:  19:00 – 21:30

Veja a produção dos Movimentos Sociais e Populares, Militantes, Filiados e Parlamentares que compareceram aos Encontros Territoriais do Setorial Estadual de Educação 

1. Políticas para a Educação;

2. 13 Propostas;

3. Manifesto “Educadores com DILMA – 13“;

4. Assine o documento DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”.

 

O Setorial Estadual de Educação protocolou nessa terça-feira (15/02) carta à Executiva Estadual do PT com o objetivo de apontar as correções necessárias que devem ser adotadas pela SEC na construção de uma Política Pública para a Educação no Estado.

O objetivo do documento, primeiro de uma série de análises, é o de oferecer ao PT e ao Governo alternativas, estas já muito bem apontadas pelo Setorial no documento “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”, na busca de alinhar as políticaas públicas ao que sempre foi defendido pelo PT a aos programas do Governo Federal.

Acesse aqui o texto da carta enviada à Executiva do PT em formato .doc.

Veja a íntegra da “Carta à Executiva Estadual do PT”, logo abaixo.

Carta à Executiva Estadual do PT.

Salvador, 15 de fevereiro de 2011.

A Coordenação do Setorial Estadual de Educação tem acompanhado de perto e com muita preocupação as ações que a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC) vem adotando para adequar sua equipe no início do segundo mandato do Companheiro Jaques Wagner. O Partido dos Trabalhadores – PT ao longo de sua História, nesses 31 anos, tem marcado a cena política por sua luta constante e permanente, ao lado dos movimentos sociais e populares.

Ao lado desses movimentos, defendeu a permanente melhoria da qualidade da Educação, se destacado pela proposição de políticas que implicam em atender os objetivos da classe trabalhadora. Nesse transcurso, acumulamos conhecimento, resultado de nossas experiências de formulação e execução de políticas públicas para a educação. Por outro lado, nesse caminhar, formamos os mais valorosos e valiosos quadros, resultado do enfrentamento das teses das classes opressoras e da necessidade de transpormos estruturas e culturas que trabalharam por séculos na produção da exclusão. A formação desses quadros nos permitiu, quando enfim assumimos os governos, exercer com êxito os postos executivos capazes de interferirem na implementação das políticas, agora públicas, de Educação que nos servem, como classe, como Trabalhadoras e Trabalhadores. Assim, nossa experiência resultou na formação de quadros como, por exemplo, o Ministro de Educação Fernando Haddad e, na Bahia, há ainda o exemplo do companheiro Penildon Silva Filho, que tem história no PT, fortes vínculos com os movimentos sociais e populares e, na Direção do Instituto Anísio Teixeira, destacou-se por tê-lo transformado no executor, atrator, catalisador e formulador das melhores políticas para a Educação em nosso Estado, especificamente as de formação de professores, base sobre a qual pretende a Presidenta Dilma Roussef avançar mais: na melhoria da Educação no Brasil.

A saída de Penildon da Direção do IAT coloca todas e todos os petistas comprometidos com a educação em permanente estado de vigília e luta. As manifestações de apoio ao Companheiro Penildo Silva Filho (professores universitários, parlamentares, membros do setorial de educação, gestores, instituições e líderes de movimentos sociais que até então mantinham a proximidade e parceira com o IAT para definição democrática das ações do Instituto, e que agora, ao que parece, poderão estar excluídos do processo decisório) apontam para seu sucesso na condução do IAT, órgão em regime especial da SEC, responsável pela formação de professores. Entre 2007 e 2010 observou-se o crescimento expressivo dos cursos de formação do instituto, tanto em quantidade quanto em qualidade. Absolutamente alinhado às políticas do MEC, durante o Governo Lula, o Instituto incorporou o programa Universidade Aberta do Brasil (UAB) e passou a contribuir, também, para a formação inicial de Professoras e Professores, no Estado. É bom lembrar que os dados do MEC apontam que contamos com cerca de 60.000 (sessenta mil) Professoras e Professores sem formação inicial em efetiva docência no Estado da Bahia.

O Setorial de Educação é solidário ao Partido (que deixa de contar com importante quadro na condução da política de formação de professores no estado) e ao Companheiro Penildon, que de forma prematura e inexplicável teve interrompida a seqüência exitosa de ações para a formação de professores no Estado.

É necessário, diríamos imperioso, a manutenção das políticas públicas até agora implementadas no IAT. São políticas dos governos Lula e Dilma, elas foram aplicadas em alinhamento com nosso projeto maior nacional e compreendemos que a Bahia não pode estar se distanciando do que o PT sempre defendeu para a Educação nesses 31 anos nem se distanciando do que nosso governo federal implementou. Muito mais do que um debate sobre pessoas, o que está colocado é um debate sobre PROJETOS. Por isso, o Setorial não está aqui se colocando para pleitear cargos na gestão de Osvaldo Barreto, mas para argumentar à gestão na Educação e ao PT: a SEC está implantando o projeto petista de governar na Educação?

Nosso governador Wagner, de forma acertada e coerente, sempre sinalizou em suas duas campanhas eleitorais e durante toda sua gestão que estria sempre afinado com a gestão federal, que estamos sempre no mesmo PROJETO. Por que a SEC está apontando no sentido contrário? Esse é o debate que os petistas da Bahia devem fazer, pois trata-se da maior secretaria petista nesse governo, que nosso governador de forma acertada colocou em sua cota pessoal para dar a maior estabilidade possível e permitir um TRABALHO CONSISTENTE. Logo, devemos monitorar e cuidar de nossa gestão na Educação, e o PT não mais se abster dessa avaliação e desse debate sobre as políticas públicas sobre Educação. O Setorial já faz esse debate e preparou um plano de governo para a Educação, entregue formalmente ao partido para debate com a SEC, plano esse que parece ter sido ignorado.

Políticas como o Plano de Ações Articuladas (PAR) que são o eixo do Plano de Desenvolvimento da Educação lançado em 2007 por Lula tem sido negligenciados pela secretaria. Apenas na dimensão de construção e reforma de escolas do PAR houve uma redução abrupta de recursos em 2009 e uma inexistência de recursos em 2010, enquanto que o Estado de Pernambuco captou R$100 milhões de reais para construção e reforma de escolas apenas em 2010. Enquanto os recursos da Educação na Bahia ainda são insuficientes, é inadmissível que a SEC não acompanhe satisfatoriamente o seu PAR para captar recursos federais. Esse é apenas um item para o PT se debruçar, pela sua responsabilidade histórica com as transformações da Bahia. Outros itens podem e serão levantados pelo Setorial da Educação a partir do momento em que esse debate se abra. Destarte, o Setorial Estadual de Educação propõe que as seguintes ações sejam adotadas:

  1. Construir, de forma fraterna e militante, o monitoramento das políticas públicas de educação no Governo Estadual para apontar êxitos, equívocos e alternativas que deverão ser defendidos pelo partido e apresentadas ao governo;
  2. Garantir a continuidade de políticas públicas que atendam ao interesse da classe trabalhadora e que estejam alinhadas ao conjunto de políticas desenvolvidas pelo nosso Governo Federal;
  3. Convocar encontro do Setorial para ampliar o debate com os filiados, militantes, simpatizantes e educadores;
  4. Ampliar o diálogo entre o Governo do Estado e os movimentos sociais e populares.

Acreditamos que o Setorial Estadual de Educação, os Movimentos Sociais e Populares, os parlamentares e a Executiva do PT empenharão esforços na consecução dos objetivos definidos acima, já que estes estão perfeitamente alinhados aos interesses do partido.

Coordenação do Setorial de Educação PT Bahia

 

Gasto social com educação é o que mais eleva o PIB

Segundo estudo do IPEA, que usou como base dados de 2006, cada R$ 1 gasto com educação pública gera R$ 1,85 para o PIB, e o mesmo valor investido na saúde gera R$ 1,70. Foram considerados os gastos públicos assumidos pela União, pelos estados e municípios. Quando se calcula o tipo de gasto social que tem o maior efeito multiplicador na renda das famílias, em primeiro lugar aparece o Bolsa Família. Para cada R$ 1 incluído no programa, a renda das famílias se eleva 2,25%. Gastos sociais fizeram o PIB brasileiro crescer 7% entre 2004 e 2008.

IPEA

Em seu Comunicado nº 75, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revela a importância que os gastos sociais adquiriram no Brasil para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e a redução das desigualdades. Segundo o estudo, que usou como base dados de 2006, cada R$ 1 gasto com educação pública gera R$ 1,85 para o PIB, e o mesmo valor investido na saúde gera R$ 1,70. Foram considerados os gastos públicos assumidos pela União, pelos estados e municípios.

Os chamados gastos sociais fizeram o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro crescer 7% entre os anos de 2004 e 2008, segundo o estudo “Gasto com a Política Social: Alavanca para o Crescimento com Distribuição de Renda” produzido pelo Ipea e divulgado quinta-feira. Durante o período, o PIB do País teve avanço real de 27%, segundo o instituto.

Ao comparar tipos diferentes de gasto social, o Comunicado concluiu que aquele destinado à educação é o que mais contribui para o crescimento do PIB, haja vista a quantidade de atores envolvidos nesse setor e os efeitos da educação sobre setores-chave da economia. “O gasto na educação não gera apenas conhecimento. Gera economia, já que ao pagar salário a professores aumenta-se o consumo, as vendas, os valores adicionados, salários, lucros, juros”, explicou o diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, Jorge Abrahão.

Abrahão apresentou o estudo ao lado de Joana Mostafa, técnica de Planejamento e Pesquisa do Ipea. Por sua vez, quando se calcula o tipo de gasto social que tem o maior efeito multiplicador na renda das famílias, em primeiro lugar aparece o Programa Bolsa Família (PBF). Para cada R$ 1 incluído no programa, a renda das famílias se eleva 2,25%. “A título de comparação, o gasto de R$ 1 com juros sobre a dívida pública gerará apenas R$ 0,71 de PIB e 1,34% de acréscimo na renda das famílias”, acrescenta o Comunicado, intitulado Gastos com política social: alavanca para o crescimento com distribuição de renda.

O texto afirma ainda que 56% dos gastos sociais retornam ao Tesouro na forma de tributos. “O gasto social não é neutro. Ele propicia crescimento com distribuição de renda. Ele foi muito importante para o Brasil superar a crise de 2008. Esse gasto tem uma grande importância como alavanca do desenvolvimento econômico e, logicamente, do bem-estar social”, concluiu Abrahão.

A íntegra do Comunicado n° 75

 Companheiras e Companheiros

Subscrevam aqui as propostas de Políticas de Educação construídas por nossos Filiados e Militantes.

 Veja o texto aqui! “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”.

No Encontro Territorial que ocorreu em Salvador no dia 25 de setembro de 2010, o Setorial Estadual de Educação submeteu à avaliação dos presentes o texto “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”, sendo o documento aprovado pelos filiados e militantes presentes.

Posteriormente colocamos o texto a disposição de Todas e Todos, aqui no blog, para que fosse lido, discutido e novas propostas incluídas. O texto, até agora coletivamente produzido, não é definitivo; a História como sabemos não acabou e segue seu curso. Contudo, o texto representa o resultado do esforço de um amplo coletivo PETISTA para oferecermos ao PT a política de educação que desejamos ver executada por governos liderados pelo nosso partido.

Agora é o momento de consolidação do trabalho até aqui desenvolvido. Destarte, estabelecemos no encontro de 25 de setembro, duas estratégias para alcançarmos nossos objetivos. A primeira é disponibilizar o texto para subscrição de Todas e Todos, criando uma base política de apoio às propostas pelos Movimentos Sociais, Populares, Professoras, Professores, Comunidade Escolar, Estudantes, Militantes, Filiados e, também, todos os candidatos do PT às eleições de 2010.

Uma segunda linha de ação, também definida no encontro citado anteriormente, é a realização de debates com os seguintes temas:

1.      A Política de Educação no Estado da Bahia;

2.      Educação Superior;

3.      Políticas de valorização das Trabalhadoras e Trabalhadores em Educação;

4.      Políticas de Formação inicial e continuada para as Trabalhadoras e Trabalhadores em Educação, e;

5.      Educação Professional e Tecnológica.

A organização desses debates será objeto de reunião da Coordenação do Setorial Estadual de Educação. Dada a relevância e a repercussão positiva dos Encontros Territoriais promovidos pelo Setorial no primeiro semestre do ano em curso, aqueles, também serão pauta da reunião da Coordenação.

Queremos convidar Todas e Todos a subscreveram o documento “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”, para que possamos avançar na luta por uma educação que atenda aos objetivos e interesses da Classe Trabalhadora.

Para subscrever o documento acesse:   http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/7411

31ª Marcha Zumbi dos Palmares

Entidades do Movimento Negro da Bahia promovem este ano a 31ª Marcha Zumbi dos Palmares, marcada para o dia 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra – com saída do Campo Grande, prevista para as 15h.

Este ano, a Marcha homenageará o líder da Revolta da Chibata, concedendo-lhe o título de Zumbi “in memorian” e terá o seguinte percurso: saída de Campo Grande, Av. 7 de Setembro, Praça da Piedade, São Bento, Rua Chile, Pça. Castro Alves, Pça Municipal, Pça da Sé e Largo Terreiro de Jesus, no Pelourinho, num total de 4 km de percurso.

No trajeto, serão homegeados pontos históricos que simbolizam a luta negra na Bahia, a exemplo da Pça. da Piedade (local de enforcamento dos lideres da Revolta dos Búzios), Pça. Castro Alves (homenagem ao poeta abolicionista), e a Ladeira da Praça (local onde se deu o início da Revolta dos Malês).

A marcha será intercalada com manifestações musicais e pronunciamentos de lideranças do movimento negro. No encerramento haverá show e manifestações culturais.

31ª Marcha Zumbi dos Palmares em Salvador/BA

Local:Campo Grande – Salvador

Data:20/11

Horário:15h

Informativo Zumbido/Nov.2010 – Secretaria Nacional de Cobate ao Racismo / PT

Companheiras e Companheiros

O Setorial Estadual de Educação realizou encontro Territorial: Metropolitana de Salvador, em Salvador no Comitê Central – “Pra Bahia seguir em Frente”: Avenida Juracy Magalhães Junior, 2.625, Cidade Jardim, nesse sábado, 25 de setembro de 2010.

 A pauta do Encontro foi a elaboração presencial e aprovação do texto que sintetiza nossas propostas, as dos filiados e militantes do PT para a área da Educação no Estado.

 O Texto em sua versão inicial, versão 1.0, representa um retrato de tudo o que foi realizado pelo Setorial em 5 (cinco) meses de provocação, chamamento e incentivo às nossas Companheiras e Companheiros de Partido para que pudéssemos solidariamente e de forma colaborativa produzir e materializar o pensamento petisca a cerca das POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO que queremos ver executadas no Estado da Bahia.

Veja o texto “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”.

 

Apresentação do documento: “Políticas para a Educação: O que pensa o PT”

 Data: 25 de setembro

Local: Comitê Central – “Pra Bahia seguir em Frente”: Avenida Juracy Magalhães Junior, 2.625, Cidade Jardim, Salvador-Bahia CEP 402951-140

Horário: das 10:00 às 14:00

Coordenação do Setorial Estadual de Educação do PT – Bahia

Programação do Encontro

10:00 Abertura: Coordenação do Setorial e lideranças do PT;

10:30 Apresentação do texto “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial para o programa PT”;

11:30 O Ensino Superior na Bahia;

12:30 Intrevalo

12:45 Debate com a pelanária e acolhimento de proposições a apresentação de deliberações

13:30 Votação dos documentos finais

14:00 Encerramento: Coordenação do Setorial e lideranças do PT

PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A EDUCAÇÃO

O Setorial Estadual de Educação compreende o transcurso eleitoral como um momento importante para a reafirmação das bandeiras históricas do PT. A educação é uma dessas bandeiras e é determinante que tenhamos propostas alinhadas aos interesses dos movimentos populares, sociais e que representem nossa própria história: nossas lutas, coerências e contradições.

É importante compreender que uma coisa é o programa de governo/campanha para as eleições de 2010, outra é o programa do PT. O Programa de Governo reflete a diversidade de ideologias contidas na aliança liderada pelo Partido dos Trabalhadores – PT na Bahia. Para esse documento os setoriais do PT foram convidados a participar como formuladores e o fizeram no encontro promovido pelo PT, partidos aliados e pela coordenação de campanha.

O texto que compõe o conjunto de propostas do PT para a educação reúne, inicialmente, as contribuições levantadas nos encontros do Setorial Estadual de Educação. E agora pretendemos que um número mais expressivo de Companheiras e Companheiros participe, através de uma produção colaborativa e coletiva das propostas.

A produção colaborativa se constitui em fenômeno contemporâneo e que tem contribuído em muito para importantes avanços dos movimentos sociais e populares. Assim, o Setorial Estadual de Educação do PT – Bahia convida a militância do PT a aprimorar solidariamente as propostas de políticas de educação para o partido. A base, das quais se sugere partir, são os textos desenvolvidos nos últimos cinco meses, abril a agosto do corrente ano, nos Encontros do Setorial. Esses textos estão disponíveis nos endereços abaixo:

  1. Santa Maria da Vitória: Território Bacia do Rio Corrente
  2. Juazeiro:Território Sertão do São Francisco
  3. Itabuna: Território Litoral Sul
  4. Serrinha: Território Sisal
  5. Amargosa: Território Recôncavo

A síntese do que foi produzido nos Encontros do Setorial está no texto “DESAFIOS PARA UM NOVO PROGRAMA DE GOVERNO NO ESTADO: Contribuição inicial ao programa do PT na Bahia”, contudo, os textos originais estão disponíveis para que TODAS E TODOS possam contribuir com o aprimoramento das propostas para a Educação. A colaboração de nossas Companheiras e Companheiros se dará a partir dessa síntese.

Como proceder para anexar propostas aos textos?

  1. Encaminhe solicitação à lista do setorial, setorial_pt_educacao@yahoogrupos.com.br;
  2. Você receberá mensagem do “googledocs” com um endereço, acesse o endereço e uma página do sítio do “googledocs” se abrirá;
  3. No canto superior direito da página coloque seu e-mail e registre uma senha, são seus dados para acesso ao texto;
  4. Ao realizar o registro uma página com os textos será aberta, no formato documento, é só colocar sua contribuição. Ao terminar, saia selecionando a opção “encerrar seção” no canto superior direito. Suas contribuições serão automaticamente salvas.

As contribuições serão sistematizadas e o texto final será apresentado no dia 13 de setembro de 2010, trata-se das propostas dos militantes em Educação do PT, formuladas colaborativamente por Todas e Todos, representando, portanto, as propostas do PT para a Educação no próximo mandato do Governador pelo PT o Companheiro Jaques Wagner.

Solicitamos que:

  1. Conservem o texto original;
  2. Conservem as alterações propostas por outras Companheiras ou Companheiros;
  3. Se identifiquem colocando nome e e-mail no fim das colaborações anexadas.

Uma resposta to “A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO DO PT”

  1. Antonia Silva Sampaio Says:

    Oi Companheiros, não conhecia esse espaço. Gostei, visitarei sempre que tiver on.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: